Rethinking historical comparisons – global history and the narrative of Chinese failure

Rethinking historical comparisons – global history and the narrative of Chinese failure

Mikko Toivanen

 

Resumo:

Uma tendência importante no novo milénio tem sido a emergência do subcampo da história global – um movimento amplo e por vezes contrastante mas ainda assim resiliente, comprometido com uma concetualização do mundo histórico e dos processos históricos como fundamentalmente interligados e globais, desafiando as historiografias convencionais, eurocêntricas. Este artigo examina o efeito de dois influentes trabalhos de história global – The Great Divergence (2000) de Kenneth Pomeranz e On Their Own Terms (2005) de Benjamin Elman – sobre uma narrativa histórica convencional do fracasso chinês e do triunfo europeu na Idade Moderna. Estas obras historiográficas, evidentemente muito diferentes, serão analisadas para revelar algumas das ideias centrais partilhadas pela maioria dos autores que trabalham sobre história global, e o desafio de fazer comparações históricas que estas envolvem. Este estudo de caso será então usado para refletir de uma forma mais ampla sobre as fraquezas das formas convencionais da história comparada, e sobre os benefícios e avanços particulares que as abordagens da história global podem trazer para o campo, se usadas da forma certa.

 

Palavras-chave:

História Comparada, História Global, China, Kenneth Pomeranz e Benjamin Elman.

 


PDF(460k)PDF


< Práticas da História 1, nº 1 (2015)