Humanidades Digitais e Investigação Histórica em Portugal

Humanidades Digitais e Investigação Histórica em Portugal: perspectiva e discurso (1979-2015)

Daniel Alves

 

Resumo:

Sob influência das recentes tendências internacionais para a consolidação da área disciplinar das chamadas Humanidades Digitais, a academia portuguesa tem vivido nos últimos anos um movimento de renovação do discurso sobre a integração das Tecnologias Digitais na investigação, ensino e divulgação nas Humanidades. Neste artigo, partindo de uma perspectiva de longo prazo sobre a ligação entre História e metodologias digitais, discute-se por um lado a novidade desse discurso, antes apontado como uma renovação, em novos termos, de uma prática que vem, em alguns casos, já da década de 1980. Por outro lado, aponta-se o facto dessa renovação, ao contrário do que está, em parte, a ocorrer no mundo anglo-saxónico, estar a desenrolar-se de forma relativamente modesta e sem um enquadramento institucional significativo. Apesar de tudo, um conjunto de dados empíricos, observáveis nos últimos anos, em especial desde 2010, mostram que as Humanidades Digitais têm conseguido congregar uma comunidade de investigadores que tende a crescer e a afirmar-se.

 

Palavras-chave:

Humanidades Digitais, História, Metodologia, Portugal.

 


PDF(593k)PDF


< Práticas da História, nº 2 (2016)