O feudalismo (ibérico) como força motora do fenómeno colonial (latino-americano)? Revisitando um famoso (e quase esquecido) debate

Mário Jorge da Motta Bastos

 

Resumo:

Desenvolvo, neste artigo, uma reflexão acerca das projeções do(s) medievo(s) ibéricos na história latino-americana por um ângulo atualmente “quase” descurado, não fosse o recente desafio da sua mobilização por um medievalista francês. Jérôme Baschet atribui ao feudalismo europeu a força motora do processo de colonização do Novo Mundo, abordando, especialmente, o caso da colonização espanhola do México. Iniciarei pela consideração da vertente analítica dos “historiadores-ensaístas” representada não por medievalistas, mas por intelectuais militantes de esquerda dedicados ao estudo da História da América Latina e do Brasil, seguindo por sua crítica e a atualização da questão para, após considerar o “restabelecimento” da temática na ordem do dia graças à “tese” de Baschet, encerrar com minha proposição pessoal este estudo.

Palavras-chave:

Medievo ibérico, colonização, feudalismo, América Latina.

Referência para citação:

Mário Jorge da Motta Bastos. “O feudalismo (ibérico) como força motora do fenómeno colonial (latino-americano)? Revisitando um famoso (e quase esquecido) debate”. Práticas da História, Journal on Theory, Historiography and Uses of the Past, n.º 10 (2020): 137-178.

 


PDFPDF


< Práticas da História, nº 10 (2020)