O Brasil medieval do sertão: A utopia escapista do País de São Saruê

Hilário Franco Júnior

 

Resumo:

A observação atenta de um folheto de cordel brasileiro de meados do século XX revela a presença de temas míticos que não podem ser creditados aos colonizadores portugueses. Na busca de suas origens, o método historiográfico dito regressivo permite identificar a sobreposição de cinco camadas culturais cujos materiais entraram na composição do texto. No nível mais profundo, estão insuspeitas raízes medievais que penetraram no Nordeste brasileiro durante a ocupação holandesa. Com esses novos colonizadores chegaram os motivos mítico-literários do país da Cocanha, cuja função onírica e catártica manteve-se naquela região de características arcaizantes, podendo assim ser reelaborados séculos depois pelo poeta popular.

Palavras-chave:

Literatura de cordel; arcaísmo; escapismo; Cocanha

Referência para citação:

Hilário Franco Junior. “The Medieval Brazil of Sertão: The Escapist Utopia of the Country of Saint Saruê” Práticas da História, Journal on Theory, Historiography and Uses of the Past, n.º 10 (2020): 15-44.

 


PDFPDF


< Práticas da História, nº 10 (2020)