Misreading Provincializing Europe

Christopher L. Hill

 

Resumo:

A proposta de Dipesh Chakrabarty de provincializar a Europa é marcada por ambiguidades e contradições que a tornam suscetível a leituras enviesadas. Algumas destas leituras partem de um entendimento superficial dos argumentos de Chakrabarty ou de uma invocação leviana da sua obra, mas outras têm origem em questões mais profundas a respeito do lugar da Europa na teoria social, da universalidade dos conceitos procedentes do pensamento europeu e das dificuldades de escapar ao quadro da história nacional. Alguns dos problemas que advêm destas questões podem ser evitados se adotarmos uma perspetiva transnacional sobre os temas abordados por Chakrabarty, embora esta perspetiva transnacional em si mesma não seja uma garantia de sucesso. Seja como for, as aparentes
limitações de Provincializing Europe tornam patentes os riscos que Chakrabarty correu ao propor um projeto que é simultaneamente metodológico, institucional e político. São, de resto, estes riscos que estão na origem do seu vasto impacto.

Palavras-chave:

Dipesh Chakrabarty, perspectiva transnacional, Provincializing Europe.

Referência para citação:

Christopher L. Hill. “Misreading Provincializing EuropePráticas da História, Journal on Theory, Historiography and Uses of the Past, n.º 11 (2020): 53-61.

 


PDFPDF


< Práticas da História, nº 11 (2020)