A febre do arquivo. O “efeito Benjamin” e as revoluções angolanas

A febre do arquivo. O “efeito Benjamin” e as revoluções angolanas

Ruy Llera Blanes

 

Resumo:

Neste artigo, discuto a importância do “arquivo” no contexto das atuais lutas políticas que estão a ter lugar em Angola. Partindo do conceito de
mal d’archive de Jacques Derrida, argumento que a atual dialética política produz uma distinção entre arquivos hegemónicos e subalternos em confronto. Ao analisar o arquivo subalterno do chamado movimento Revú, descreverei os processos através dos quais ele cria uma epistemologia alternativa à narrativa oficial do regime angolano.

 

Palavras-chave:

Angola, Arquivo, Anamnese, Benjamin

 


PDF(635k)PDF


< Práticas da História, nº 3 (2016)