Pós-colonialismo e a história do nacionalismo anticolonial

Sanjay Seth

 

Resumo:

A teoria pós-colonial chamou a atenção para o facto de que o encontro colonial teve efeitos duradouros não apenas em termos de exploração económica, mas em outros domínios, incluindo a cultura e o conhecimento; e que, precisamente porque o colonialismo foi uma relação de poder, esses outros domínios não eram “exteriores” ou “remanescentes” de uma relação de poder, mas eram atravessados pelo poder e pela desigualdade. Mapeando brevemente as questões que animaram a teoria pós-colonial, este artigo examina as análises pós-coloniais do nacionalismo anticolonial, concentrando-se naquelas empreendidas pelos historiadores do grupo de Estudos Subalternos, que produziram conjuntamente 12 volumes de ensaios históricos sobre a Índia entre 1982 e 2005. Em diálogo com este corpo de trabalho, o artigo argumenta que ao mesmo tempo que o nacionalismo anticolonial foi um desafio ao domínio do Ocidente, reproduziu ainda assim esse domínio, na medida em que o Estado soberano e a modernidade que o nacionalismo anticolonial almejava estiveram intimamente ligados ao conhecimento e à cultura do Ocidente.

Palavras-chave:

Pós-colonialismo, História, Índia, nacionalismo.

Referência para citação:

Sanjay Seth. “Pós-colonialismo e a história do nacionalismo anticolonial.” Práticas da História, Journal on Theory, Historiography and Uses of the Past, n.º 7 (2019): 45-75.

 


PDF(666k)PDF


< Práticas da História, nº 7 (2018)