World, Structure and Play: A Framework for Games as Historical Research Outputs, Tools, and Processes.

Robert Houghton

 

Resumo:

O potencial dos jogos digitais históricos enquanto investigação académica tem sido discutido por um número pequeno mas crescente de autores (Clyde et al., Spring, Chapman, Carvalho, etc.). Até hoje, a maior parte deste trabalho centrou-se na validade dos jogos enquanto forma histórica académica. Este artigo avança o debate ao considerar o potencial dos jogos não apenas para as representações de dados e análises históricas, mas também enquanto medium de debate histórico. Apoiando-se no enquadramento descrito pelo académico Espen Aarseth, o artigo propõe que a natureza fundamental dos jogos poderia permitir a exploração e o questionamento de informações e argumentos. Através da qualidade interactiva do medium, ligado a uma abordagem historicamente crítica, os jogadores poderiam tornar-se não apenas observadores de um produto historiográfico, mas participantes do processo de debate histórico. Em última análise, o artigo argumenta que, embora os jogos nunca possam substituir monografias e outros trabalhos académicos, eles podem ser um importante contributo ao campo de estudos.

Palavras-chave:

Videojogos, História, simulação histórica.

Referência para citação:

Robert Houghton. “World, Structure and Play: A Framework for Games as Historical Research Outputs, Tools, and Processes.” Práticas da História, Journal on Theory, Historiography and Uses of the Past, n.º 7 (2019): 11-43.

 


PDF(674k)PDF


< Práticas da História, nº 7 (2018)