A grande aventura. Televisão, nacionalismo e as comemorações dos Descobrimentos portugueses

A grande aventura. Televisão, nacionalismo e as comemorações dos Descobrimentos portugueses

Marcos Cardão

 

Resumo:

Os programas televisivos de José Hermano Saraiva contribuíram para criar uma narrativa popular sobre a História de Portugal. Reconhecendo em devido tempo a importância da televisão como novo mediador da vida cultural, José Hermano Saraiva serviu-se das suas capacidades de comunicador para veicular uma história de pendor nacionalista e que privilegiava a síntese em vez da investigação de fundo. De natureza exploratória, este artigo pretende contornar a secundarização dos objectos audiovisuais na historiografia e avançar hipóteses interpretativas para o estudo da programação da Comissão Nacional para a Comemoração dos Descobrimentos Portugueses (CNCDP, realizada entre 1986 e 2002), encetando uma análise do programa televisivo “A Grande Aventura”. Não se pretende extrapolar a análise de um programa em concreto para considerações gerais sobre a programação da CNCDP, nem sugerir que o programa modificou a forma de divulgar a história da expansão portuguesa, mas antes apresentar uma nova forma de apreciar a mediatização da temática dos Descobrimentos no período democrático e pós-colonial e verificar como a performance de José Hermano Saraiva terá favorecido a sua popularização.

Palavras-chave:

Nacionalismo, Descobrimentos portugueses, televisão, cultura audiovisual, José Hermano Saraiva.

Referência para citação:

Marcos Cardão. “A grande aventura. Televisão, nacionalismo e as comemorações dos Descobrimentos portugueses.” Práticas da História, Journal on Theory, Historiography and Uses of the Past, n.º 8 (2019): 17-47.

 


PDF(565k)PDF


< Práticas da História, nº 8 (2019)