Entre celebrações e exposições: algumas visibilidades em jogo nos Descobrimentos (1990-2000)

Entre celebrações e exposições: algumas visibilidades em jogo nos Descobrimentos (1990-2000)

Iara Lis Schiavinatto

 

Resumo:

Em meio ao dissenso sobre os sentidos da celebração dos Descobrimentos Portugueses no Brasil, o artigo indica formas pelas quais determinadas exposições promoveram políticas de memória entre as décadas de 1990 e 2000 no Brasil e em Portugal. Especificamente, este artigo trata da noção de visibilidade presente no módulo Negro de Corpo e Alma, na Mostra do Redescobrimento, em um contexto de poucas iniciativas oficiais em relação à memória da escravidão. Aborda, ainda, uma política de memória que concorreu para o fortalecimento da categoria arte afro-brasileira e para a criação do Museu Afro-Brasil. Por fim, delineia-se a guinada que ocorreu na noção de Descobrimento.

Palavras-chave:

Comemoração, exposição, arte afro-brasileira, Brasil, Descobrimentos Portugueses.

Referência para citação:

Iara Lis Schiavinatto. “Entre celebrações e exposições: algumas visibilidades em jogo nos Descobrimentos (1990-2000).” Práticas da História, Journal on Theory, Historiography and Uses of the Past, n.º 8 (2019): 49-83.

 


PDF(1409k)PDF


< Práticas da História, nº 8 (2019)